Revista Zumm - Edição 42

09
jun
Cuidando da saúde mental do idoso
Cuidando da saúde mental do idoso
  • Alzheimer . psicogeriatra . psicogeriatria . qualidade de vida . saúde .

A Psicogeriatria é a especialidade médica que cuida da saúde mental de pessoas com mais de 65 anos. Entenda como ela pode ajudar você e seus familiares.

Para explicar um pouco dessa subespecialidade da Psiquiatria, convidamos o Psicogeriatra Dr. Vinícius Faria (CRM- SP 145761) para falar sobre como os transtornos psiquiátricos se manifestam de forma diferente no idoso. Segundo ele, o primeiro passo é diferenciar as alterações emocionais, cognitivas e comportamentais que são normais no processo de envelhecimento, daquelas alterações que ocorrem em algumas doenças, como por exemplo na depressão ou doença de Alzheimer. É muito comum que sinais como isolamento social, perda de interesse nas atividades, alterações do sono e apetite, perda de memória e funcionalidade sejam tratados como “coisas normais da idade”, mas que na verdade podem ser sinônimo de alguma doença. “Se não se busca ajuda por esse olhar do Psicogeriatra, muitos casos podem passar batido e não receber o tratamento adequado”.

O Dr. Vinicius explica que apesar das limitações da idade, o idoso que passa pelo processo normal de envelhecimento continua capaz de aprender novas informações e manter sua funcionalidade para as atividades do dia-a-dia, incluindo tomada de decisões importantes e controle financeiro. Qualquer alteração no estado mental ou funcional que fuja disso, deve ser melhor avaliada. Nesse caso, a maior preocupação é em relação às demências, cuja doença mais comum e conhecida é o Mal de Alzheimer. “No inicio, as alterações podem ser muitos sutis, com pequenas mudanças no comportamento, lapsos de memória e perda gradativa da funcionalidade”, exemplifica. Ainda segundo o especialista, o melhor a se fazer é buscar ajuda o quanto antes, pois o diagnóstico precoce pode melhorar muito a qualidade de vida do paciente e dos cuidadores.

Mas e como é a consulta com um Psicogeriatra? “Todos os idosos que vêm até meu consultório, além dos aspectos emocionais, também são avaliados quanto às questões cognitivas, comportamentais e de funcionalidade. É uma investigação bem ampla.”. Para tanto, quando indicado, o Dr. Vinicius Faria aplica uma ampla bateria de testes que avaliam memória, linguagem, funções executivas, atenção, entre outras funções. Também é fundamental uma avalição completa do histórico do paciente, tanto em termos médicos, como de sua história de vida e familiar. “É importantíssimo que se realize uma história completa dos tratamentos médicos já realizados pelo paciente, bem como conhecer seus antecedentes emocionais, sociais e seu contexto familiar e laboral. Só assim é possível chegar a um diagnóstico preciso e estabelecer um plano de tratamento que vá de encontro às verdadeiras necessidades da pessoa”, enfatiza o médico.

Como lidar com o Alzheimer?
Embora seja uma doença ainda sem cura, o Dr. Vinícius Faria explica que os pacientes diagnosticados com Alzheimer em fase precoce podem conseguir melhorar sua qualidade de vida e, consequentemente, de todas as pessoas a sua volta, de forma significativa. “A acetilcolina é o principal neurotransmissor relacionado às demências, então, no Alzheimer, existe uma queda de acetilcolina e os remédios ajudam a mantê-la em um nível melhor. Isso tende a recuperar um pouco da memória e da funcionalidade, e reduz a velocidade de progressão da doença. Assim, nos anos que seguem, tende a retardar as alterações de comportamento mais graves. Além disso, há uma ampla gama de intervenções não medicamentosas que também podem ajudar”.

O Psicogeriatra também aponta que, no momento de medicar os idosos, é preciso tomar muito cuidado com as particularidades da idade, pois o metabolismo dessa faixa etária é diferente. “A quantidade de água e gordura que eles possuem no corpo, por exemplo, é diferente dos jovens e isso influencia muito no tratamento. Até os tipos de remédios utilizados precisam ser outros. Por isso, buscar uma ajuda médica especializada se torna indispensável para um melhor resultado, seja qual for o diagnóstico”, finaliza o médico.

 

Dr. Vinicius Faria – Psicogeriatra